Slide background
Slide background
Slide background
Slide background
Slide background
Slide background

Na quinta-feira, 08 de agosto, aconteceu no auditório da ABTI em Uruguaiana, o Workshop sobre Operador Econômico Autorizado - OEA. Na ocasião participaram como palestrantes, o Auditor-Fiscal da RFB, Fábio Lemes Barros, o consultor, Daniel Gobbi Costa da ALLIANCE, representantes do SEST SENAT e da associada DBSystem.

Iniciando o Workshop, o SEST SENAT apresentou uma série de cursos e treinamentos disponíveis na unidade que podem contribuir para que as empresas de transporte adquiram o status OEA. Entre os cursos citados estão: Gerenciamento de Risco no TRIC; Eficiência Energética; Mercosul e suas regulamentações no transporte de produtos perigosos e Cursos de Tecnologias. Outros treinamentos e serviços podem ser consultados diretamente nas Unidades Operacionais do SEST SENAT.

O Auditor-Fiscal Fábio Lemes trouxe em sua apresentação a inserção do Programa OEA em diferentes países, assim como suas fases de implementação no Brasil e as exigências para a aquisição do status. Fábio também ressaltou a definição do OEA que segundo ele, trata-se dos intervenientes que operam no Comércio Exterior e são certificados pela Receita Federal ao cumprirem voluntariamente critérios de segurança e conformidade, em relação a cadeia logística e obrigações aduaneiras.

Ainda, o Auditor-Fiscal destacou que o processo para obtenção da certificação no Programa OEA, consiste na avaliação do processo de gestão para minimizar os riscos existentes nas operações de Comércio Exterior. Sendo assim, existem requisitos obrigatórios e critérios específicos para autorizar e validar o status para a empresa. Também, Fábio tratou dos benefícios previstos pelo programa como: simplificação do processo de licenciamento; menor incidência de seleção para conferência física e análise prioritária de mercadorias.

Daniel Gobbi, da ALLIANCE, apresentou o tema de Gerenciamento de Riscos para a Cadeia Logística Internacional, destacando que o procedimento deve considerar diferentes aspectos na estrutura de uma gestão. Para que os riscos em projetos ou processos sejam gerenciados, Daniel citou cinco atividades que contribuem para a operação: identificação; análise; planejamento; execução e acompanhamento. Ainda, foi tratado que o gerenciamento de risco é baseado em fontes de informação, tais como: dados históricos; experiências; observações; previsões e opiniões de especialistas. Tal processo, com o estabelecimento de metas de desempenho, análises críticas e mudanças, contribui para a melhoria do funcionamento da empresa, o que consequentemente pode auxiliar na obtenção do status OEA, que exige a empresa estar em conformidade com alguns critérios de segurança.

A DBSystem, empresa associada da ABTI, participou do evento apresentando o Sistema Propulsor Transportadora, este desenvolvido para controlar os processos operacionais do Transporte Internacional e gerenciar os custos e as receitas através de indicadores de rentabilidade. O serviço pode ser disponibilizado em qualquer local e conta com uma estrutura completa de hardware e software, com custo zero e rapidez na implantação. Ainda, o Propulsor está integrado a sistemas governamentais como Portal Siscomex e Siscoserv, com aderência à certificação OEA.

O evento teve grande adesão dos profissionais do transporte, superando as expectativas da Associação, responsável pelo Workshop. Sendo assim, a ABTI agradece a participação de todos e se mantém a disposição de seus associados, para que juntos possam buscar cursos e treinamentos que contribuam para melhorias do setor.

Os materiais das apresentações podem ser disponibilizados aos associados conforme solicitação via e-mail, através dos contatos imprensa@abti.org.br ou marketing@abti.org.br

Rua General Bento Martins, 2350
Uruguaiana - RS - Brasil
Cep: 97501-546
abti@abti.org.br

logoBoto

Siga-nos

face twitter in

+55 55 3413.2828
+55 55 3413.1792
+55 55 3413.2258
+55 55 3413.2004